Por que ovos de chocolate e peixes são tão comuns durante a Páscoa?

Ao chegar próximo do Domingo de Páscoa, em diversos locais, muitas pessoas gostam de comprar dois produtos indispensáveis. É o ovo de chocolate e/ou peixe. Algumas vezes, eles são tão ligados ao período, que os seres humanos não percebem o verdadeiro significado do momento pascal.

A Páscoa é tida, para os Cristãos, como uma festividade religiosa, que celebra a Ressurreição de Jesus Cristo. Segundo o Novo Testamento, presente na Bíblia Sagrada, esse é o terceiro dia após a Crucificação no Calvário e sempre precisa ser num Domingo.

Se a Páscoa tem tudo a ver com a religião, então como os ovos de chocolate ganharam tanta projeção?

Para explicar, o site Harpyja começa com a pergunta tão conhecida:

“Quem veio primeiro: o ovo ou a galinha?”

O portal explica que talvez tenha sido o coelho, numa forma de descontração, mas evidenciando que foi esse último animal citado que se tornou responsável por grande parte do contexto histórico da Páscoa.

Isso devido esse ser representar a fertilidade, o nascimento e a esperança. Logo, o coelho representa a ressurreição de Cristo, o ovo representa a vida.

Os ovos entraram no meio da história quando se tornou costume cozinhar ovos de galinha e decorá-los para comer e comemorar a fertilização do solo.

Enquanto o chocolate é só uma questão cultural, e pela popularização do ingrediente.

Agora vêm a outra questão: E o peixe?

A Sexta-feira Santa é tida, tradicionalmente pelos Cristãos, como um dia de sacrifícios. Isso em sinal de consternação pela morte de Jesus. Por isso, há uma tradição de não comer carne vermelha.

Essa abstenção é uma forma de respeitar o derramamento de sangue de Cristo, no momento da Crucificação.

Além disso, carne era, naquela época, um artigo de luxo e dificilmente aparecia nos pratos de pessoas pobres. Já o peixe, que é um símbolo profundo para o Cristianismo, se encontrava em abundância e não custava um valor alto.

Dessa forma, era muito encontrado nas refeições de pessoas mais humildes.

Ainda hoje, quando se fala em jejum, muito se lembra que diversas pessoas passam fome no mundo e não tem condições de comprar alimentos para se alimentar.

Vale ressaltar que comer peixe não significa só ser simples. Esse ato simboliza também uma penitência, à espelho do que fez Jesus.

Por: João de Jesus / Foto: Divulgação na internet

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on print
Share on email