Ibitiara: Manifestação com professores, alunos e pais cobram o valor integral do Piso Salarial e aulas presenciais

Gestor diz que Ibitiara tem uma das maiores folhas de pagamento da Chapada

Nesta terça-feira (08 de março) diversos professores, alunos e pais dos estudantes se mobilizaram numa manifestação na sede do município de Ibitiara/BA. Entre os pontos do protesto, destacam-se a luta da classe dos docentes pelo valor do Piso Salarial integral e o deficit na aprendizagem dos discentes, por conta da continuação das aulas em formato virtual.

De acordo com a Coordenadora da APLB de Ibitiara, Daiza, a categoria decidiu entrar em greve e realizar essa manifestação pelas ruas da cidade, que terminou na Câmara de Vereadores. Segundo a diretora, foi pedido o auxílio do Legislativo na mobilização.

Conforme Daiza, desde que foi anunciado, pelo Governo Federal, o reajuste do Piso, a Gestão de Ibitiara se manifestou dizendo que não poderia cumprir de forma completa. Dessa forma, fez uma proposta de pagamento em 10,74%.

Nós não aceitamos, mesmo assim eles pagaram, agora em fevereiro, o piso com esse acréscimo.

Ela diz que a gestão alega não ter recebido o repasse do Governo Federal, correspondente ao piso.

Só que tivemos acesso aos dados do TCM, do Portal da Transparência, e vimos que o município já recebeu o repasse sim, que recebeu o recurso corrigido.

Daiza relata que, em assembleia, a categoria decidiu pela Greve Geral e a manifestação pelas ruas da cidade, que finalizou na sede do Legislativo.

Se não bastasse apenas a questão da porcentagem de reajuste no Piso, os professores, juntamente com alunos e pais de estudantes, buscam uma solução para o retorno presencial das aulas.

Segundo os manifestantes, existia um cronograma para março já ter atividades nas salas de aula, com os alunos, assim como em vários outros municípios, seguindo os protocolos de biossegurança. Porém, a Gestão informou que as reformas nas escolas não estariam prontas a tempo e por essa razão o modelo virtual seria mais uma vez utilizado, pelo menos neste começo do ano letivo.

Além disso, outra reivindicação dos presentes no protesto é em relação aos alunos da Rede Estadual, que já estão estudando de forma presencial, porém nem todos têm acesso ao transporte escolar.

Sobre esse ponto anterior, mais outra pauta dos manifestantes foi levantada, que é em relação a organização da Gestão em Licitação de Merenda Escolar e de Transporte Escolar, que, segundo manifestantes, até o momento não aconteceu.

Segundo Daiza, após a reunião na Câmara de Vereadores, foi solicitada a formação de uma comissão pra tentar solucionar o problema, junto ao gestor.

Ele concordou em fazer uma reunião, recebendo a comissão de professores, mas deixou claro que não vai receber a APLB. Ainda citou nomes.

De acordo fala de Daiza, o nome dela e da irmã foram citados, na qual “no gabinete dele nós não entramos”.

Dessa forma, a indignação dos professores aumentou ainda mais.

 

O Jornalismo da Rádio Macaúbas FM busca uma posição da Gestão de Ibitiara, através de interlocutores, mas até o momento ainda não se teve uma resposta concreta. Mas, a equipe da 103,9 segue deixando o espaço aberto ao Governo Municipal, para qualquer esclarecimento aos ouvintes do município.

Porém, ao Jornal Chapada News, o Prefeito Wilson Santos Souza (PSD), esclareceu que “a cidade de Ibitiara é uma das maiores, senão a maior folha de pagamento de professores da Chapada Diamantina”, relata o site, em matéria divulgada nesta terça.

Ainda segundo essa publicação, o Gestor informou que “nesse momento o município não tem condições de realizar o pagamento integral do reajuste do piso. Tem interesse em valorizar estes profissionais tão primordiais no município, se pudesse, pagaria até mais, porém neste momento, caso cumprisse a ordem dos 33,24%, as escolas ficariam sem transportes, sem as reformas necessárias e sem merendas, pois o recurso da educação está praticamente, todo voltado ao pagamento de funcionários do setor”, complementa a reportagem.

O Prefeito ainda destacou ao Portal que docentes do município recebem um salário de mais de R$ 4 mil. “O professor que ganha menos em Ibitiara, com base na carga horária de 40 horas, tem salários de mais de R$ 4.000. Ou seja, professores de 40 h têm salários que vão de mais de R$ 4.000 a mais de R$ 5.000”, enfatizou o Chapada News.

O site finaliza dizendo que o Gestor afirmou que dialoga com o Sindicato e que irá fazer o pagamento, assim que receber o recurso. “O Prefeito relata que tem conversado com a APLB-Sindicato da cidade e que jamais se recusou a pagar. Promete que assim que receber os recursos do Governo Federal irá fazer o repasse do reajuste de forma retroativa, a todos os professores”, concluiu a matéria.

Por: João de Jesus / Vídeos e Fotos: WhatsApp/MacaúbasFM

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on print
Share on email