O jornalista Paulo Carvalho, de 47 anos, morreu nesta quinta-feira (25), no Rio de Janeiro, vítima de infarto.

Ele estava com um dos filhos na Game XP 2019, no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, quando passou mal por volta das 14h.

A organização do evento informou que ele foi atendido pela equipe do posto de saúde local, e encaminhado para o Hospital Lourenço Jorge.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que o jornalista já chegou sem vida ao hospital.

O enterro do corpo do jornalista será realizado às 16h desta sexta-feira (26), no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

 

Carreira

 

Formado pela Universidade Gama Filho em 1997, Paulo Carvalho trabalhou nos jornais “Povo do Rio”, “Extra” e o extinto “A Notícia”.

Também foi assessor de imprensa na Prefeitura do Rio e, por último, esteve na assessoria da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Paulo Carvalho cobriu casos emblemáticos, como o sumiço de Eliza Samudio, o assassinato do jornalista Tim Lopes e a relação do ex-jogador Ronaldo Fenômeno com travestis.

Foi um dos autores do livro “Indefensável: O goleiro Bruno e a história da morte de Eliza Samudio”.

Paulo Carvalho deixa dois filhos e a esposa, também jornalista, Janaína Carvalho.